Retrofit da Prefeitura de São Francisco recebe LEED Platinum

Compartilhe:

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email

Publicada em: 30/11/2017

A Câmara Municipal de São Francisco é o prédio mais antigo dos Estados Unidos a receber a Certificação LEED Platinum, destinada a edifícios existentes (LEED O+M).

A Certificação Platinum concedida ao edifício de 100 anos de idade da Prefeitura de São Francisco é o culminar de uma parceria de reforma entre a Comissão de Utilidades Públicas de São Francisco (SFPUC), a EPA dos EUA, e o Gabinete de Administração da cidade, visando atingir resultados nos consumos de água e energia.
Uma subvenção da EPA na ordem de $ 700.000 apoiou a substituição de mais de 90 vasos sanitários e mictórios por modelos de alta eficiência. Este financiamento federal continua a apoiar retrofits de eficiência hídrica em outros edifícios de Centros Cívicos, incluindo o 101 Grove Street. Melhoramentos de eficiência operacional e de energia foram financiados pelos contribuintes locais.

"São Francisco tem sido uma cidade líder e inovadora na vanguarda das soluções para combater as alterações climáticas e reduzir o consumo de energia e água", disse a administradora da EPA Gina McCarthy. "Como toda a nação assiste a Califórnia suportar seu quarto ano de seca, todos nós devemos fazer a nossa parte pelo do uso de energias renováveis, eficiência energética, e conservação de nossos preciosos recursos hídricos." 

O LEED (Leadership in Energy & Environmental Design) tem como base a Liderança em Energia e Design Ambiental; a sigla O+M (Operations & Maintenance) é uma ferramenta usada para avaliar as Operações e Manutenções de Edifícios Existentes; ambos são os padrões utilizados para medir e comparar a sustentabilidade ambiental no projeto e operação de edifícios existentes.

A Câmara Municipal já era considerada um dos edifícios históricos mais sustentáveis do país, com o fornecimento de 100% da eletricidade livre de gases de efeito estufa
pelo uso do sistema de alimentação do SFPUC, Hetch Hetchy Power System. Estas melhorias servirão para reduzir ainda mais o impacto ambiental do edifício.

"Estas novas reformas para eficiência hídrica e energética são boas para o meio ambiente e economizam dinheiro dos contribuintes", disse Harlan Kelly, Gerente Geral Jr. SFPUC. "Com a mudança climática global sobre nós, agora é o momento de redobrar os nossos esforços para garantir que todos os nossos edifícios sejam o mais sustentável possível."


Veja exemplos de empreendimentos existentes que receberam Certificação LEED O+M:


Medidas realizadas no retrofit do edifício da Prefeitura de São Francisco que contribuíram para a obtenção da certificação LEED Platinum - O+M: 

Redução no consumo de Energia e Água no Prédio da Prefeitura: 
"Melhorias no que tange eficiência energética possibilitarão a redução em cerca de 20 por cento do consumo, tornando a Prefeitura um dos edifícios mais eficientes em termos de energia no país." Com as atualizações para eficiência de água há estimativa de economia em cerca de 825 mil litros de água potável por ano.

Redução do consumo de água:
- Substituição de 76 vasos antigos que usavam 3,5 litros por descarga (gpf), por novos modelos de alta eficiência que utilizam 1,28 gpf.
- Substituição de 17 mictórios antigos que usavam 2 gpf por novos modelos que utilizam 0,125 gpf.
- Substituição de 200 torneiras que usavam 7 litros por minuto (lpm) por novos modelos que utilizam 0,5 lpm.

Redução do consumo de energia elétrica:
- Instalação de um sistema de gerenciamento de iluminação natural para reduzir a iluminação elétrica quando houver suficiente luz do dia, mediante a instalação de clarabóias na rotunda e nos escritórios do 4º andar.
- Instalação de lâmpadas fluorescentes com baixo teor de mercúrio em substituição às lâmpadas fluorescentes ineficientes.

Redução do consumo de gás natural:
- A reconfiguração dos sistemas de ventilação e aquecimento do primeiro andar possibilitam a monitoração dos níveis de temperatura e CO?, permitindo a circulação de ar fresco quando uma sala estiver cheia de pessoas. Por outro lado, quando a sala estiver vazia, os baixos níveis de CO2 reduzem a operação do sistema.
- O aumento da circulação de ar fresco para o resfriamento do edifício e a construção de atualizações do sistema de gestão de energia permitem um melhor acompanhamento e otimização.