• Membros
  • Cursos
  • Sobre Certificado
  • Expo-Gbc

Curitiba será sede do maior encontro da construção verde da América Latina

Compartilhe:

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email

Publicada em: 08/08/2018

A 9ª Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo vai reunir a cadeia produtiva da construção sustentável para fomentar o conhecimento e a tecnologia voltados à geração de negócios para o setor 

 

Atualmente, o Brasil é o 4º país no ranking mundial de edificações certificadas como sustentáveis (certificação LEED - Leadership in Energy and Environmental Design - certificação renomada no mercado imobiliário internacional, presente em 167 países). Há no Brasil hoje 1.308 projetos registrados e destes, 504 certificados. Os edifícios verdes alcançaram um patamar histórico, deixando de ser um privilegio das construções de alto padrão e chegando às escolas, creches, lojas de varejo, comércio, residências, hospitais, entre outras edificações, públicas ou privadas. 

Com este cenário, Curitiba sediará o principal evento de construção sustentável da América Latina. A 9ª Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo será realizada entre os dias 5 e 7 de novembro, no Salão Principal da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP). 

O evento vai oferecer conteúdo técnico de expressividade aos profissionais, gestores públicos e acadêmicos de áreas como construção, arquitetura, engenharia, design, agronegócio, sustentabilidade, habitação, planejamento urbano e outras. Serão apresentadas mais de 40 sessões educacionais (palestras, apresentação de trabalhos técnicos), além de workshops, eventos de networking e visitas técnicas em edifícios de destaque.

A edição de 2018 será realizada simultaneamente a outros dois eventos, a 5ª edição do Smart Energy Paraná, voltado à eficiência energética e energias renováveis, e o ASHRAE Brasil Chapter, sobre a eficiência energética em edificações. Esses eventos têm por objetivo debater a importância da utilização de fontes renováveis de energia para o desenvolvimento, disseminar conhecimento técnico sobre o tema e promover a geração de negócios. 

Segundo Felipe Faria, diretor executivo do Green Building Council Brasil (GBC Brasil) e presidente do Comitê dos GBCs das Américas pelo World Green Building Council, a sinergia entre os eventos é positiva e vai agregar valor aos debates. ?A colaboração é chave para o sucesso de um movimento de transformação de mercado. Esta edição do Greenbuilding Brasil será icônica posto que tornaremos o evento itinerário e a cidade escolhida é Curitiba, destacando as parcerias locais e a qualidade dos projetos na região Sul que lideram pelo percentual de projetos certificados LEED Platinum e pioneirismo nas certificações GBC ZERO ENERGY e GBC CASA e CONDOMÍNIO.?  

 ?O Brasil é um dos primeiros países a implementar uma certificação - Certificação Zero Energy Building - voltada à aceleração da geração de energia por fontes renováveis, ao conceito de geração distribuída e ao fomento de grandes avanços no que tange a eficiência energética?, conta o executivo. 

Ele explica que o World Green Building Council firmou compromisso no COP Paris, estabelecendo a meta de garantir a autossuficiência energética das novas edificações até 2030, e em um segundo momento, todas até 2050, para garantir a reduções das 84 GTon de emissões, o suficiente para manter o aquecimento em até 1,5ºC. ?A meta foi proposta a 10 unidades do Green Building Council no mundo e o Brasil é um deles?, completa Faria.

Para Bruno Martinez, presidente do ASHRAE Brasil Chapter, a sinergia formada entre ASHRAE Brasil Chapter, que atua pela eficiência energética e qualidade do ar interno, o GBC Brasil, trabalhando pelas construções verdes, e o Smart Energy, que atua em prol da energia renovável é muito forte. ?Nossa expectativa é que, juntos, podemos passar uma mensagem mais completa para todo o mercado, de como é possível se construir melhor e contribuir para o avanço do mercado da construção civil no caminho da sustentabilidade?, afirma Martinez. 

?Com a união desses três eventos, nossa proposta é promover uma maior aproximação dos diferentes segmentos do setor de energias renováveis para discutir soluções e conhecer as principais novidades, afinal, todos os envolvidos têm temas complementares e um alinhamento muito forte na busca pelo desenvolvimento da sustentabilidade e energias renováveis?, afirma Celso Kloss, coordenador da Smart Energy CIEI&EXPO.

Panorama sobre a energia e as construções verdes ? A energia e a construção civil são dois dos segmentos mais importantes para a economia e sociedade brasileira. Segundo dados do IBGE, a construção civil representa 11,3% do PIB do país (incluindo as atividades imobiliárias), enquanto que a energia representa 2,7%. Segundo mostra o Plano Nacional Energético - EPE para 2050, 48% do consumo de energia do país é proveniente de edificações, incluindo residências, edifícios comerciais e públicos e, até 2015, haverá um aumento de 148% no consumo de energia no setor de edificações.

No Brasil, 40% da energia gerada é proveniente de fonte renovável, grande parte de hidrelétricas, que representam três vezes a média mundial. Já no quesito energia solar, o país apresenta potencial de geração de 28.500 GW. O crescimento do mercado de energia fotovoltaica em 2017 no Brasil foi de 256,48% e foram registradas 27.605 edificações com geração distribuída em maio 2017, contra 7.807 em 2016. 

O Paraná, onde os eventos serão realizados, produz 94,4% da energia gerada por hidrelétricas no Brasil e consome o equivalente a 17,1% da energia nacional e 59,5% do que é consumido em toda a região Sul. Trata-se do 5º estado com maior geração de energia fotovoltaica do Brasil. Em 2018, o Paraná registrou 2 mil edificações em micro e mini geração de energia, sendo 300 na capital e região metropolitana de Curitiba. 

Em termos de certificação verde, a taxa anual de crescimento de edifícios sustentáveis no Brasil é de 41%. Já na região Sul é de 79,6%.

Esse crescimento é o resultado dos benefícios que as construções verdes oferecem. Estudo da Universidade de Harvard aponta que os ganhos financeiros atrelados às mudanças climáticas e melhoria com saúde e bem-estar oferecidos pelas edificações verdes são de 16,05 dólares por metro quadrado. Nesse cenário, de 2007 a 2016, o Brasil gerou uma economia total de 348 milhões de dólares, sendo 251 milhões em economia de energia.

Estudos também comprovam que as construções verdes são a melhor opção de negócios no setor imobiliário. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) analisou mais de 2.000 prédios comerciais na cidade de São Paulo, entre o 1º trimestre de 2010 e o 3° trimestre de 2014 e comprovou que as construções verdes recebem uma valorização por metro quadrado no aluguel de 4% a 8%. Também identificou que as construções verdes registraram taxa de vacância de 28,6% contra 34,1% nas edificações não certificadas. Outro ponto avaliado é que prédios verdes têm taxas de condomínio com valores entre 15% e 25% abaixo dos valores cobrados em edifícios convencionais.

  

Serviço: Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo 2018

Data: 5 a 7 de novembro de 2018

Local: Salão Principal da FIEP 

(Av. Cândido de Abreu, 200 - Centro, Curitiba - PR)

Informações e credenciamento pelo site: http://expogbcbrasil.org.br/