fbpx

Como a certificação LEED pode impactar o mercado de construções?

Publicado em 01 . 10 . 2020

 

A preocupação com a sustentabilidade tem levado o Brasil ao topo de um ranking bastante importante. Segundo o U.S. Green Building Council (USGBC), o país ocupa o 4º lugar no ranking dos países e regiões fora dos Estados Unidos com mais projetos buscando a certificação LEED. São cerca de 640 projetos que totalizam mais de 18,96 milhões de metros quadrados que se adequam a estes padrões.

O Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) é um sistema internacional de certificação e orientação ambiental para edificações utilizado em mais de 160 países. Ele possui o intuito de incentivar a transformação dos projetos, obra e operação, sempre com foco na sustentabilidade de suas atuações.

Considerando as diferentes necessidades para cada uma das quatro tipologias (Novas Construções e Grandes Reformas, Interiores, Operação e Manutenção de Empreendimentos Existentes e Bairros), são analisadas áreas como Localização e Transporte, Terrenos Sustentável, Eficiência do Uso da Água, Energia e Atmosfera, Materiais e Recursos, Qualidade Ambiental Interna, Inovação e Processos e Créditos de Prioridade Regional.

Cada tipologia considera uma série de ações como pré-requisitos – obrigatórios – para iniciar o processo de certificação. Se um empreendimento não cumprir uma das ações obrigatórias, não recebe a certificação. Também pode ganhar alguns créditos ao atender às sugestões do LEED que são focadas em performance. Tudo isso gera uma pontuação que define o nível da certificação que a edificação pode obter: Certified, Silver, Gold ou Platinum.

Certificação LEED muda o mercado de construção. Entenda como.

Desde a sua primeira emissão em nosso país, quase 15 anos atrás, diversos setores apresentaram mudanças muito rápidas para atender a essa necessidade, tais como tecnologias construtivas, competitividade das empresas no mercado, pesquisas científicas, cursos de capacitação, atuação de instituições, fabricantes, projetistas, órgãos públicos e investidores, etc.

No início, muitos profissionais acreditavam que a certificação LEED era apenas um processo burocrático e que não teria impacto do dia a dia. No entanto, após comprovados os dados referente a diminuição de custos de operação e aumento pela busca de empreendimentos sustentáveis, a certificação se disseminou de forma que se tornou padrão dentro de alguns setores. Assim, o mercado se desenvolveu cada vez mais e foram necessários estudos sobre novas tecnologias por exemplo, de vidros, alternativas de proteção solar de fachadas e maior integração com os projetistas de ar-condicionado.

Com isso, algumas áreas passaram a ser mais valorizadas, como luminotécnica e paisagismo. Se antes elas eram consideradas apenas estéticas, a partir daí passaram a ter uma enorme representatividade quanto ao consumo de energia, retenção de água pluvial no terreno, consumo de água para irrigação, criação de biodiversidade, telhados verdes, redução de ilhas de calor, etc.

Os profissionais mais atentos passaram a se posicionar como “sustentáveis” e conseguiram sair na frente de seus concorrentes. Mais que isso: foram buscar especializações em sustentabilidade em edifícios. Atualmente, o GBC Brasil oferece uma série de cursos Online e Offline (desconsiderando o período de pandemia) voltados para a certificação LEED, GBC Brasil Casa e GBC Brasil Zero Energy. Os cursos visam preparar profissionais para prestar consultoria, acompanhar uma obra que busque certificação ou se tornarem profissionais Acreditados.

Até mesmo as formas de incentivo para a criação de construções com esse perfil foram ampliadas. Anteriormente, eram iniciativas exclusivas de organizações que acreditavam no potencial de diferenciação de suas edificações. Agora, já existem linhas de financiamento diferenciadas de bancos privados, prefeituras criaram seus programas de edifícios verdes, melhores taxas de financiamento para os estádios que buscaram a certificação LEED e portarias que exigem atributos sustentáveis em prédios públicos, dentre outras.

Como obter essa certificação?

Se a sua empresa tem interesse em se engajar neste mercado e espera construir um futuro mais sustentável, ela pode apoiar a causa tornando-se Membro do GBC Brasil, que é a ONG que fomenta a indústria da construção sustentável no país.

Além disso ela pode certificar sua sede ou empreendimento. Para isso é preciso escolher a tipologia da edificação e registrar o projeto. Após isso, serão realizadas auditorias documentais: uma do projeto e outra da obra. Caso sua construção atenda aos pré-requisitos citados anteriormente e atinja a pontuação mínima, ou mais, a certificação será emitida. 

Caso você queira se engajar como profissional, também é possível por aqui.

Esperar o futuro já não é mais suficiente; é preciso construí-lo. Vamos juntos construir um futuro sustentável.

O que procura?

Seja um membro