fbpx

Sistema de automação em edifício corporativo para acionamento do ar condicionado através do controle de acesso de usuários

Publicado em 24 . 09 . 2019

Os poderes da tecnologia se provam constantemente ilimitados. Basta que haja uma demanda, haverá em seguida uma reação para atendimento envolvendo ferramentas de inovação científica. E foi através de uma demanda surgida dentro da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), cuja sede é no Centro Empresarial CNC (LEED Gold) em Brasília, Distrito Federal, que surgiu uma inovação.

A Orion Engenharia, em parceria com a Iris Imóveis Corporativos, buscando minimizar custos de energia elétrica da PGFN, desenvolveu um sistema para acionamento do ar condicionado do ambiente de trabalho do usuário no momento em que ele passa pelo controle de acesso com seu cartão magnético. A ideia foi de aproveitar os dados constantes do cadastro do usuário e identificar o seu local específico de trabalho para, em seguida, acionar automaticamente o sistema de climatização do referido espaço.

Ao apresentar-se na portaria do empreendimento através do cartão de acesso nas catracas, o usuário é identificado e, em seguida, o ar condicionado (do tipo VRF) que atende a sua sala é ligado na temperatura preestabelecida. No momento em que sair do prédio, acontece o inverso, ou seja, o sistema desliga automaticamente. Uma integração aparentemente simples, porém, resultado de um trabalho em conjunto entre a administradora do condomínio, a empresa de automação do prédio e o cliente final, em que foi necessário um estudo detalhado das tecnologias existentes e como integrá-las, além de uma mudança de costume dos usuários.

Rodrigo Mizuno, diretor da Orion Engenharia, ressalta que há necessidade de conhecimento de diversas expertises para que haja a integração das soluções. “É automação pura. É Importante e necessário dominar o conhecimento da área e também da engenharia para a realização desta integração e conseguir a eficiência esperada no processo”, afirma Mizuno.

O projeto consistiu na identificação das tecnologias existentes, integração das mesmas pois necessitava que o sistema de acesso controlasse a automação do ar condicionado, individualização ao máximo possível das máquinas de ar condicionado por sala e conscientização dos usuários de que o ar condicionado da sala somente liga/desliga quando identificar a passagem do cartão de acesso em uma das catracas do empreendimento.

Os primeiros testes iniciaram em junho/2018 e no final do mês de setembro do mesmo ano 100% das salas da PGFN estavam integradas ao sistema de controle. Com esta iniciativa, foi possível reduzir o consumo de energia elétrica do órgão beneficiado em 9,5% no ano de 2018 quando comparado ao ano de 2016, o primeiro ano de medição. Este percentual de economia em 2018 equivale a 61,5% de uma fatura mensal de energia elétrica do órgão.

Quanto à adaptação por parte dos funcionários daquele órgão, uma vez que passaram a encontrar o seu local de trabalho na temperatura ideal no momento de sua chegada, ocorreu de maneira natural.

Franco Morais, gerente de Facilities da Iris Imóveis Corporativos atesta que “os resultados mostram que prédios com uma tecnologia embarcada de última geração aliados a uma gestão de facilities eficiente podem contribuir muito para a redução de custos dos locatários”. Neste caso, Franco afirma que fica demonstrado que, com o uso do ar condicionado vinculado à presença do usuário no empreendimento, foi possível otimizar o consumo, gerando benefícios tanto para o meio ambiente (redução no consumo de energia elétrica e a consequente diminuição do uso dos recursos naturais) quanto para o usuário do empreendimento (redução das despesas).

Os custos envolvidos no processo de integração, segundo avaliação de Franco, foram baixos e se pagaram no primeiro mês de implantação, devido ao prédio já possuir sistema VRF independente, sendo apenas necessária realocação de grelhas de ar condicionado, além do trabalho de programação da equipe da Orion Engenharia para fazer a vinculação do cartão do usuário à máquina de climatização da sala.

Para 2019, a previsão de economia é de 13,5% quando comparado ao ano de 2016, tornando a sede da PGFN uma referência no que diz respeito a otimização do consumo de energia elétrica.

O projeto foi apresentado e ficou entre os melhores do ano na premiação da ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities), que visa divulgar e valorizar as ideias inovadoras do setor. O feito ressaltou a importância da integração entre serviço e tecnologia para a otimização dos recursos existentes e a total satisfação do cliente.


por Grupo Orion e Iris Gestão , membros do GBC Brasil.

O que procura?

Seja um membro